xtb

China compra soja brasileira antes de acordo comercial com os EUA

A China está pegando cargas de soja no Brasil, correndo grandes esperanças de grandes vendas americanas imediatamente após a assinatura de um acordo comercial parcial com os EUA na próxima semana, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

Compradores privados da China compraram cerca de 10 cargas do país sul-americano até agora esta semana, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas porque os acordos são privados. A maioria da soja é para remessas de janeiro a abril, disseram as pessoas.

As compras brasileiras, embora não sejam incomuns para esta época do ano, acontecem exatamente no momento em que os EUA e a China assinam um pacto comercial de fase um em 15 de janeiro. Eles também destacam a disposição da China de comprar suprimentos americanos apenas quando forem mais baratos do que em outro lugar.

O Brasil, maior exportador mundial de soja, está começando a colher o que se prevê ser uma safra recorde, reduzindo os preços. Os suprimentos brasileiros são mais baratos que os dos EUA, atraindo compradores privados chineses que se concentram apenas em margens de esmagamento, de acordo com Monica Tu, analista de oleaginosas da Shanghai JC Intelligence Co.

Feijões baratos do Brasil ameaçam chover na parada de agricultores dos EUA: Gráfico

A China comprometeu-se a comprar US $ 40 bilhões por ano em produtos agrícolas americanos, uma meta alta que exigirá grandes compras de soja dos EUA. As importações chinesas de soja dos EUA subiram ao máximo em 20 meses em novembro, depois que mais cargas americanas despacharam as alfândegas.

A China tem emitido isenções tarifárias regulares para empresas domésticas comprarem soja nos EUA. As isenções cobrem os direitos de retaliação de 30% sobre as sementes oleaginosas americanas, que os compradores chineses processam em óleo comestível e ração animal. O país está analisando pedidos de isenção de tarifas para mercadorias dos EUA no valor de US $ 60 bilhões, de acordo com uma declaração do governo.