G7 colaborará em regulamentação criptográfica mais rígida

A próxima reunião do G7 pode trazer um impulso das sete maiores democracias para regulamentações mais rígidas sobre criptomoedas em todo o mundo, informou a agência de notícias Kyoto em 25 de março.

Juntos, líderes do Japão, Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, França, Alemanha e União Europeia delinearão uma estratégia cooperativa para aumentar a transparência criptográfica e aprimorar a proteção do consumidor, além de abordar riscos potenciais ao sistema financeiro global, oficiais disseram a Kyoto. A cúpula deste ano está marcada para acontecer em Hiroshima, em maio.

Entre os membros do G7, o Japão já regulamenta criptomoedas, enquanto a regulamentação dos Mercados de Criptoativos (MiCA) da União Europeia deve entrar em vigor em 2024. O Reino Unido está desenvolvendo gradualmente sua estrutura criptográfica, com uma categoria especial para ativos criptográficos em impostos formulários recentemente introduzidos, bem como planos para uma libra digital.

Relacionado: As limitações dos novos regulamentos de criptomoeda da UE

O Canadá trata os ativos digitais como valores mobiliários e os Estados Unidos atualmente aplicam os regulamentos financeiros existentes, com alguns antecipando uma estrutura regulatória cripto dos legisladores nos próximos meses.

Esforços paralelos para padrões de ativos digitais estão sendo feitos pelo Conselho de Estabilidade Financeira (FSB), o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco de Compensações Internacionais (BIS), o grupo das 20 maiores economias do mundo - conhecidas coletivamente como G20 — anunciado em fevereiro durante uma reunião em Bengaluru, na Índia.