Hackers devolvem $ 260 milhões à plataforma de criptomoeda após roubo em massa

Os hackers por trás de um dos maiores roubos de criptomoedas já devolveram mais de um terço dos US $ 613 milhões em moedas digitais que roubaram, disse a empresa no centro do hack na quarta-feira.

A Poly Network, uma plataforma de finanças descentralizada que facilita as transações ponto a ponto, disse no Twitter que US $ 260 milhões dos fundos roubados foram devolvidos, mas que US $ 353 milhões estavam pendentes.

A empresa, que permite aos usuários trocar tokens entre diferentes blockchains, disse na terça-feira que foi hackeada e pediu aos culpados que devolvessem os fundos roubados, ameaçando com uma ação legal.

Os hackers exploraram uma vulnerabilidade nos contratos digitais que a Poly Network usa para mover ativos entre diferentes blockchains, de acordo com a empresa forense de blockchain Chainalysis.

Uma pessoa que afirma ter perpetrado o hack disse que o fez “por diversão” e queria “expor a vulnerabilidade” antes que outros pudessem explorá-la, de acordo com mensagens digitais compartilhadas pela Elliptic, empresa de rastreamento de criptografia e Chainalysis.

“Sempre foi o plano” devolver os tokens, escreveu o suposto hacker, acrescentando: “Não estou muito interessado em dinheiro”.

Os hackers ou hackers não foram identificados e a Reuters não conseguiu verificar a autenticidade das mensagens.

Tom Robinson, co-fundador da Elliptic, disse que a decisão de devolver o dinheiro pode ter sido motivada pelas dores de cabeça de lavagem de criptografia roubada em tal escala.

Um executivo da empresa de criptomoedas Tether disse no Twitter que a empresa congelou US $ 33 milhões relacionados ao hack, e executivos de outras bolsas de criptomoedas disseram à Poly Network que também tentariam ajudar.

“Mesmo se você puder roubar criptoassets, lavá-los e sacar é extremamente difícil, devido à transparência da blockchain e ao amplo uso de análises de blockchain por instituições financeiras”, disse Robinson.

A Poly Network não respondeu aos pedidos de mais detalhes. Não ficou claro onde a plataforma está localizada, ou se alguma agência de aplicação da lei estava investigando o roubo.

O tamanho do roubo foi comparável aos US $ 530 milhões em moedas digitais roubadas da bolsa Coincheck com sede em Tóquio em 2018. O Monte. A bolsa Gox, também com sede em Tóquio, entrou em colapso em 2014 depois de perder meio bilhão de dólares em bitcoin.

O ataque da Poly Network ocorre em um momento em que as perdas com roubo, hacks e fraudes relacionadas a finanças descentralizadas (DeFi) atingem um ponto mais alto, de acordo com a empresa de inteligência de criptografia CipherTrace.

Com US $ 600 milhões, no entanto, o roubo da Poly Network superou em muito os US $ 474 milhões em perdas criminais que a CipherTrace disse ter sido registrado por todo o setor DeFi de janeiro a julho. Os roubos ilustram os riscos do setor, em sua maioria não regulamentado, e podem atrair a atenção dos reguladores.

As plataformas DeFi permitem que as partes realizem transações, geralmente em criptomoedas, diretamente sem os gatekeepers tradicionais, como bancos ou casas de câmbio. O setor cresceu muito no ano passado, com plataformas agora lidando com mais de US $ 80 bilhões em moedas digitais.

Os defensores do DeFi dizem que ele oferece às pessoas e empresas acesso gratuito a serviços financeiros, argumentando que a tecnologia vai cortar custos e impulsionar a atividade econômica. Mas falhas técnicas e fraquezas em seus códigos de computador podem torná-los vulneráveis ​​a hacks.