xtb

LATAM Airlines demitirá 'pelo menos' 2.700 trabalhadores no Brasil

A LATAM Airlines demitirá “pelo menos” 2.700 trabalhadores no Brasil, incluindo pilotos, disse seu braço brasileiro no sábado, enquanto a transportadora falida luta para cortar custos e lidar com o colapso do setor devido à pandemia do COVID-19.

Em comunicado, a LATAM Brasil informou que abriu um processo de redundância voluntária na sexta-feira, que será até 4 de agosto, após o qual serão cortados mais 2.700 empregos.

O anúncio seguiu o colapso nas negociações com o sindicato da SNA sobre salários dos trabalhadores, disse o comunicado. Os jornais O Globo e O Estado de S. Paulo divulgaram os despedimentos no sábado. A LATAM disse que paga mais a seus pilotos e tripulação do que seus rivais no Brasil, e a pandemia a forçou a “combinar as práticas da indústria”.

As demissões são as mais recentes em esforços para reduzir o tamanho da maior companhia aérea da América Latina. Antes do novo surto de coronavírus, a companhia aérea tinha 43.000 trabalhadores em todo o mundo, com a maioria deles no Brasil e no Chile. A LATAM está tentando reestruturar US $ 18 bilhões em dívidas. Quando entrou com um pedido de proteção contra falência nos EUA em maio, foi a maior companhia aérea do mundo até hoje a buscar uma reorganização de emergência devido à pandemia.

O setor de aviação enfrenta uma das piores crises com a pandemia. Na Holanda, a gigante KLM também foi forçada a demitir milhares de empregados, apesar da ajuda substancial do governo holandês e retomada parcial da economia nos últimos dois meses, coincidindo com o verão europeu. Como o Brasil ainda não saiu do pico de infecção, devido a falta de um planejamento sólido do governo para a reabertura econômica, a LATAM provavelmente foi mais duramente afetada ainda e o desafio está longe de acabar.