Mercados do Brasil caem após Lula assumir o cargo prometendo acabar com a pobreza

Os mercados brasileiros deram um veredicto inicial negativo sobre o primeiro dia completo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no cargo na segunda-feira, depois que ele prometeu priorizar questões sociais, ao mesmo tempo em que ordenou uma extensão orçamentária para uma isenção de imposto sobre combustível.

A moeda real perdeu 1,5% em relação ao dólar nas negociações da manhã, enquanto o índice de referência da bolsa de valores de São Paulo caiu 3,24% antes do meio-dia. As ações da estatal petrolífera Petrobras recuaram 6%.

Em discursos proferidos em sua posse em Brasília no domingo, Lula prometeu que o combate à fome e à pobreza seria “a marca” de sua terceira presidência, após duas passagens anteriores no país, de 2003 a 2010.

Lula derrotou por pouco o ex-presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro em outubro, levando o maior país da América do Sul de volta à esquerda.

Na segunda-feira, Lula instruiu os ministros a revogar as medidas de privatização de empresas estatais tomadas pelo governo anterior, incluindo estudos para vender a petrolífera Petrobras, os Correios e a emissora estatal EBC.

No domingo, ele assinou um decreto que estende a isenção de impostos federais para os combustíveis, medida aprovada por seu antecessor com o objetivo de baratear seu custo nas vésperas da eleição, mas que privará o Tesouro de R$ 52,9 bilhões. um ano em receita fiscal.

A isenção do imposto federal para combustíveis terá duração de um ano para diesel e biodiesel e dois meses para gasolina e etanol, decreto publicado no Diário Oficial divulgado nesta segunda-feira.

O ministro da Economia, Fernando Haddad, havia dito que a renúncia não seria prorrogada, criando uma divisão no novo gabinete, mas o senador Jean Paul Prates, que deve se tornar o principal executivo da Petrobras, disse que a prorrogação iria adiante.

A questão tributária criou uma primeira divisão no novo Gabinete.

Haddad disse na segunda-feira que vai propor uma nova âncora fiscal para restaurar as contas públicas. “Não estamos aqui para aventuras”, disse ele em um discurso, tentando acalmar o nervosismo do mercado.

Lula, que tirou milhões de brasileiros da pobreza durante seus dois primeiros mandatos, criticou Bolsonaro por permitir que a fome voltasse ao Brasil e chorou durante seu discurso a apoiadores no domingo ao descrever como a pobreza havia aumentado novamente.

Os aliados disseram que a consciência social recém-descoberta de Lula foi o resultado de seus 580 dias de prisão, informou a Reuters no domingo.

Lula passou seu primeiro dia de mandato reunido com mais de uma dezena de chefes de Estado que compareceram à sua posse.

Os encontros começaram com o rei da Espanha e continuaram com os presidentes sul-americanos, entre eles os líderes esquerdistas da Argentina, Chile e Bolívia, além de representantes de Cuba e da Venezuela, e o vice-presidente Wang Qishan, da China.

Em uma de suas primeiras decisões no domingo, Lula instruiu seu gabinete a rever a decisão de Bolsonaro de colocar alguns dos documentos de seu governo sob sigilo de 100 anos.

Em seu discurso de posse no Congresso, Lula disse que não buscava vingança, mas que quaisquer crimes cometidos no governo Bolsonaro seriam responsabilizados com o devido processo legal.

Bolsonaro trocou o Brasil pela Flórida 48 horas antes do fim de seu mandato, uma ausência que o isola de qualquer risco legal imediato após perder sua imunidade presidencial, disseram especialistas jurídicos, já que ele agora enfrenta investigações relacionadas à sua retórica antidemocrática e à forma como lidou com o COVID -19 pandemia.