xtb

Regulador dos EUA processa Amazon, exige recall de produtos perigosos

A Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos EUA (CPSC) disse na quarta-feira que processou a Amazon.com Inc (NASDAQ: AMZN) para forçar o varejista a retirar centenas de milhares de produtos perigosos que distribuiu em sua plataforma.

Por uma votação de 3-1, o CPSC votou para registrar uma queixa administrativa dizendo que o gigante do comércio eletrônico com sede em Seattle era legalmente responsável pelo recall dos produtos, pois eles representavam um sério risco de ferimentos ou morte para os consumidores.

Os produtos incluíam 24.000 detectores de monóxido de carbono que não dispararam, quase 400.000 secadores de cabelo que não tinham proteção necessária contra choques e eletrocussão e “numerosas” roupas de dormir para crianças que podem pegar fogo, de acordo com o CPSC.

“Devemos nos empenhar em como lidar com essas enormes plataformas de terceiros de maneira mais eficiente e como melhor proteger os consumidores americanos que dependem delas”, disse o presidente em exercício da CPSC, Robert Adler.

O regulador acrescentou que a Amazon tomou medidas não especificadas para alguns dos produtos, mas não foi o suficiente.

A Amazon disse em um comunicado que não estava “claro” por que o CPSC rejeitou sua oferta de expandir seu programa de recall, inclusive para produtos vendidos por terceiros, ou processou para forçar ações “quase totalmente duplicadas” do que havia tomado.

A empresa disse que retirou “a grande maioria” dos produtos em questão de sua loja e ofereceu reembolso total aos clientes.