Analistas veem Banco Central do Brasil encerrando aperto monetário em 13% este ano

O banco central do Brasil encerrará seu aperto monetário com taxas de 13% este ano, de acordo com uma pesquisa semanal de economistas privados na segunda-feira, que mostrou o segundo aumento consecutivo nas expectativas em meio a sinais mais agressivos dos formuladores de políticas para controlar a inflação de dois dígitos.

A previsão mediana para 2022 subiu de 12,75% na semana anterior, depois que o banco central elevou sua taxa básica de juros em 100 pontos-base para 11,75%, sinalizando outro aumento do mesmo tamanho em maio para conter os efeitos dos choques de oferta da guerra na Ucrânia .

Antes da decisão, mais de 100 economistas consultados pela pesquisa semanal “Focus” do banco central esperavam que as taxas de juros subissem 75 pontos base em maio, seguidas por um aumento final de 25 pontos base em junho.

Agora, eles preveem um ajuste de 1 ponto em maio e uma alta de 0,25 ponto em junho, encerrando um ciclo de aperto que tirou os custos de empréstimos da mínima histórica de 2% em março de 2021. Para 2023, a perspectiva é para as taxas de fim de ano. em 9%, de 8,75% anteriormente.

A previsão de inflação subiu pela décima semana consecutiva para 6,59%, de 6,45% na semana anterior, contra a meta dos formuladores de políticas de 3,5% de inflação este ano. As estimativas para 2023 também subiram de 3,70% para 3,75%, afastando-se da meta de 3,25%.

Os números da pesquisa foram divulgados com um atraso de uma hora e meia na segunda-feira, que o sindicato do banco central atribuiu a uma mobilização feita por servidores pedindo aumentos salariais. O banco central não comentou o assunto.