xtb

Brasileiros vão à praia enquanto OMS diz que país subestima o aumento de coronavírus

O Brasil alcançou mais de um milhão de casos confirmados de coronavírus e 50.000 mortes no fim de semana, quando multidões invadiram as praias do Rio de Janeiro, mas a Organização Mundial da Saúde disse na segunda-feira que ainda mais casos provavelmente serão contados.

O Ministério da Saúde do Brasil disse na segunda-feira que 21.432 casos adicionais confirmados do vírus e 654 novas mortes foram registrados nas 24 horas anteriores.

Um dia antes, nadadores e banhistas banhavam as famosas praias do Rio, com muitas sem máscaras nem respeitando as orientações da OMS de manter 1 metro (3 pés) de distância entre as pessoas.

Enquanto o número de pedágios sobe no Rio, o estado com o segundo maior número de novos casos de coronavírus, o secretário de saúde local disse na segunda-feira que renunciará após cerca de um mês no cargo.

“Só tenho uma coisa a dizer: tentei”, disse o secretário de saúde do estado, Fernando Ferry, em um vídeo na emissora brasileira TV Globo, anunciando sua saída.

Ferry aceitou o trabalho depois que a polícia começou a investigar a agência estadual de saúde por contratos suspeitos no nível estadual e compra de equipamentos destinados a lidar com a pandemia. Isso levou o legislador estadual a abrir processos de impeachment contra o governador do Rio.

A turbulência entre as autoridades de saúde do Rio reflete a do governo federal, onde dois ministros da saúde renunciaram no período de um mês. Um general militar de serviço ativo, sem formação médica, é agora ministro interino da saúde.

A OMS está investigando uma onda de mais de 54.000 novos casos de coronavírus no Brasil em 24 horas, que foi relatada pelo Ministério da Saúde na sexta-feira e é de longe a mais relatada no país em um único dia, segundo o principal especialista em emergências da OMS. Mike Ryan.

Ryan disse em uma entrevista on-line na segunda-feira que os níveis de testes ainda eram baixos no Brasil, com uma alta porcentagem de resultados positivos.

“Isso geralmente significa que provavelmente há mais casos por aí do que os relatados”, disse Ryan.

À medida que o pedágio continua aumentando, os governos locais em todo o Brasil vêm gradualmente levantando pedidos de bloqueio.

O relaxamento do isolamento social no atual momento, no qual o país ainda está no pico de infecções, tem sido apontado como equivocado por especialistas.
Na Europa, em países como Alemanha, Holanda e Itália, as restrições foram retiradas gradualmente, apenas após ser comprovado que o índice R de infeções estava abaixo de 1 e que a quantidade de internados na UTI estava bem abaixo da capacidade.
O Brasil vai na contramão de tudo que mostra a ciência, com a ideia de que é necessário o relaxamento para evitar uma crise econômica. No entanto, está entrando em uma crise sanitária e consequemente econômica ao mesmo tempo.