Possível vitória de Milei na Argentina preocupa Brasil, diz ministro da Fazenda

O ministro da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, disse que uma possível vitória de Javier Milei nas eleições presidenciais da Argentina preocupa o governo brasileiro porque seu vizinho também é um importante parceiro comercial.

“É claro que estou preocupado. Uma pessoa cujo slogan é romper o relacionamento com o Brasil que foi construído ao longo de séculos nos preocupa. Isso preocuparia qualquer um”, disse Haddad em entrevista à Reuters na noite de quarta-feira.

Milei, apelidado de “Bolsonaro da Argentina” devido à sua afinidade ideológica com o ex-presidente de extrema direita do Brasil, disse em discursos de campanha que limitaria o comércio com o Brasil se fosse eleito.

Ele chamou o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva de “comunista raivoso” e “socialista com vocação totalitária” e afirmou que a Argentina “seguiria seu próprio caminho” em relação à sua adesão ao mercado comum sul-americano, Mercosul.

A Argentina, apesar da sua grave crise económica, continua a ser o principal mercado para os produtos manufaturados brasileiros e tem procurado a assistência brasileira em questões como o financiamento de importações.

Haddad disse que o governo brasileiro trabalhou em quatro propostas que davam garantias para o Brasil aceitar o financiamento de importações pela Argentina, mas nenhuma delas conseguiu ir adiante devido à impossibilidade ou incapacidade do governo vizinho de cumprir as demandas.

As propostas brasileiras continuam de pé, disse Haddad, acrescentando que dependendo de quem for eleito as relações com a Argentina podem se tornar impossíveis.

Os eleitores argentinos vão às urnas no domingo e Milei é o favorito, mas não há certeza se ele conseguirá vencer ou terá que enfrentar um segundo turno em novembro.